Eu e o Kindle Paperwhite

Antes de mais nada, esclareço que minha versão do Kindle é a primeira geração do modelo Paperwhite (explico melhor depois) e com o firmware mais recente até agora, 5.4.4.2. O motivo da ênfase é que essa atualização botou algumas funcionalidades extras ao aparelho, e algumas são boas o suficientes pra se levar em conta na…

Comentando: A Realidade em Jogo

Há pouco tempo, encontrei duas palestras de uma game designer chamada Jane McGonigal, sendo elas Gaming can make a better world e The game that can give you 10 extra years of life. Lendo tanto o nome de um quanto de outro já é tendência ficar com um pé atrás, afinal como jogos poderiam ser…

Comentando: Jogador nº 1

Recentemente fiquei sabendo desse livro escrito por Ernest Cline, não lembro onde, e a julgar pelas resenhas que procurei, tinha cara de ser bom. Como não achei na biblioteca (e olha que ele tá bem famosinho já), acabei comprando, e posso dizer que foram 20 reais muito bem gastos. O livro é todo narrado pelo…

Comentando: Tarot Café – A Caçada Selvagem

Pra quem não lembra, eu já tinha escrito sobre os manhwas da história original de Sang Sun Park. Dessa vez, A Caçada Selvagem é uma história à parte desse universo, mas em forma de light novel. O roteiro é da autoria de Chandra Rooney e a arte (obviamente) é de Park. Tanto que ela nos presenteia…

A protagonista da história, Pimpa, no detalhe da capa do livro. Essa ilustração e as outras encontradas no miolo foram criadas por Marcus Sant´Anna.

Comentando: Sozinha no Mundo

Velharia é o que há! No caso desse livro, originalmente publicado em 1984 e sendo a estreia juvenil de Marcos Rey, foi uma obra que devo ter conhecido nas primeiras séries do fundamental. Foi um dos pouquíssimos livros que lembro de ter lido da série Vaga-lume, e não importa quantas vezes eu o leia, não…

Comentando: Ella Enfeitiçada

Há alguns anos, eu provavelmente ganhei esse livro de alguém. Já li inúmeras vezes, mas não consigo enjoar. Inclusive, já tive vontade de fazer uma história em quadrinho baseado nele (e até tentaria, se tivesse mais técnica e soubesse desenhar cenários). Assim, decidi trazê-lo pra cá. Escrito por Gail Carson Levine e publicado no Brasil…

Comentando: The Final Hours of Portal 2

Se por um lado eu já “conhecia” inconscientemente a Valve quando era mais nova, foi praticamente esse ano em que eu pude ter um contato real e profundo com os jogos dela. Sei que soa exagero dizer isso, mas não consigo pensar em outra coisa quando penso na série Portal. Apesar de Portal estar aí…