Eu no I Festival Games Brasil

festival game brasil

A movimentação estava mais ou menos assim, com direito a um Pac Man dando sopa ali atrás.

Depois de passar mais de um ou dois anos sem viajar para São Paulo, acabei dando um pulo por lá nos dias 18 e 19 para apreciar a primeiríssima edição do Festival Games Brasil. Pra quem tá por fora, trata-se de uma exposição de jogos exclusivamente nacionais (tanto eletrônicos quanto analógicos) no Museu da Imagem e do Som que começou com a Virada Cultural e terminará 2 de Junho! Se está de bobeira na cidade, deveria passar por lá (tem mais informações disponíveis no facebook).

A grosso modo, o evento foi sensacional e absolutamente divertido – mais por causa de algumas ótimas pessoas que tive o prazer de conhecer do que os jogos em si. Tanto no primeiro quanto no segundo dia, pude contar com a presença do ilustríssimo Arthur Protasio, com seu carisma inconfundível, que participou como um dos organizadores e palestrantes, além de ter entrevistado algumas pessoas pro seu canal. E no domingo, em duas ocasiões, fui o que ele chamou de “cameragirl”, hahahaha!


Além disso, conheci até mesmo uma galera do Boteco Gamer, como Caio Ribeiro (do Soul Gambler), Horacio Corral com a Janaina, Emanuel Tavares e o pessoal do staff que não consegui guardar o nome. E, vejam só, encontrei até mesmo o Moacyr da Acigames no meio.

Sobre os jogos propriamente ditos, no fim acabei não vendo muita coisa, em parte porque as máquinas quase sempre estavam ocupadas por alguém (realmente não eram tantas assim). Então me resumirei em fazer alguns comentários tão breves quanto o tempo que os experimentei:

xilo screenshot

Nos primeiros minutos de Xilo, temos alguns textinhos ilustrados como esse aí.

Toren: Sem dúvidas era um dos jogos que mais queria botar as mãos, especialmente porque não pude aproveitar a única oportunidade de jogá-lo quando o alpha ficou disponível no OnLive. Mas nem pude apreciá-lo direito não só por causa da barulheira do local (que cortava o clima e impedia de ouvir qualquer coisa do áudio) como também por não estar pronto. O que mais me incomodou foi a mecânica de ter que manter determinadas teclas apertadas pra fazer ações como empurrar um objeto. Devo ter desistido quando empaquei por causa de algum problema nos comandos.

Xilo: Esse deve ter sido o que desisti mais rápido. Por mais interessante que seja tanto no propósito quanto na estética, foi absolutamente frustrante morrer por encostar num mísero milímetro dos cactos espalhados, especialmente quando tentava subir na primeira plataforma. Nada de corações, tinha que começar a fase tudo de novo.

Soul Gambler: No caso desse, na verdade fiquei assistindo o Arthur jogar. Já tinha terminado o demo pré-Kickstarter do estúdio e embora ainda pense que o visual da versão inicial tenha mais personalidade, o prólogo remodelado não deixou a desejar. Os diálogos foram refeitos, a interface das escolhas em forma de quadrinhos ficaram muito mais interessantes e a paleta de cores dos desenhos estava super agradável. Em suma, foram mudanças sensatas e funcionais. Certamente irei jogá-lo quando estiver finalizado!

Lights Out: Joguinho minimalista de perseguição do qual teve participação do Arthur na produção e que tive o prazer de derrotá-lo quando joguei de perseguido, hahahaah! No começo achei o jogo bem confuso e a euforia de ganhar mal me fez prestar atenção nos diálogos que existem entre os personagens (o que são interessantes por envolver uma carga moral no contexto). Super recomendo que deem uma olhada.

Knights of Pen & Paper: COM CERTEZA irei comprá-lo quando sair o port pra PC. Mesmo não tendo feito quase nada durante o jogo (acabei desanimando quando me deparei com um bug após cinco minutos que me impediu de prosseguir), curti muito o tom satírico quanto ao RPG de mesa. Não é à toa que está recebendo tanta visibilidade como agora.

Luke at the Stars: Gostei do visual fofinho dele, com direito a uma musiquinha idem (é, o dele deu pra ouvir). Mas acho que teria mais graça de jogá-lo num portátil do que no PC. Também não foi muito intuitivo a princípio, e a maneira que o How to Play foi colocado separado das fases deve ter deixado uma galera meio perdida também. Felizmente, não demorei muito tempo pra começar a sacar exatamente o que precisava fazer.

Uma pequena amostra do que teve em relação aos jogos analógicos disponíveis.

Uma pequena amostra do que teve em relação aos jogos analógicos disponíveis.

Ah, e de forma alguma poderia deixar de compartilhar o que rolou no domingo perto do meio-dia, em que havia uma excelente banda escocesa tocando músicas logo em frente à entrada do museu. Quase chorei de tão foda que era. Na hora estava com minha irmã e ela aproveitou pra tirar umas fotenhas como essa:

Duas lindas que chegaram a dançar algumas vezes.

Duas lindas que chegaram a dançar algumas vezes.

Mesmo com vários problemas técnicos durante o evento, o pessoal do staff conseguiu controlar bem a situação e certamente será mais fácil na próxima vez que tiver novamente (bem, estou torcendo pra isso acontecer). Então tudo o que posso dizer pra finalizar o post é: Ano que vem é nóis na fita! E passem por lá antes que o evento acabe. Sérião.

Anúncios

3 comentários sobre “Eu no I Festival Games Brasil

  1. Adoro posts fofos sobre jogos nacionais. Ótimo saber que tem gente passando no MIS pra curtir o que os desenvolvedores brazucas estão fazendo (eu estou inclusa nessa).
    Só uma dica: Luke at the Stars é pra tablets e smartphones e está disponível no Google Play 😉

    • me acharam rápido hein xD e pô, eu já tinha reparado que havia pra portáteis, hahaahaah! Só queria explicitar que o port do PC não parece muito interessante em comparação à plataforma móvel.

      sucesso pra vocês!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s