Comentando: The Last Unicorn

E você aí, reclamando das mensagens subliminares dos filmes da Disney.

Entre os filmes que eu estava devendo de assistir, finalmente conheci a história de The Last Unicorn. Baseado no livro de Peter S. Beagle lançado em 1968 (e o filme lançado em 1982), a história é sobre um unicórnio fêmea que descobre ser o último que existia – ou pelo menos segundo dois caçadores que passaram na floresta em que vive. Não muito tempo depois, ela descobre, através de uma borboleta cantante com um parafuso a menos sobre o Touro Vermelho, que seguia os rastros dos unicórnios e os empurravam para o fim do mundo. Dessa forma, ela vai em busca dos outros membros da sua espécie.

Durante a história, o unicórnio é confundido com uma égua branca pelas pessoas que não acreditavam neles; chega a ser capturada por uma velha bruxa dona de um “circo da meia noite de criaturas das trevas” e, dessa forma, conhecendo Schmendrick, um mago atrapalhado que a liberta, que me lembrou do mago da Caverna do Dragão. Mais adiante, conhecemos Molly, aparentemente esposa do capitão Cully, um espécie de Robin Hood que não acredita na existência de Robin Hood, vivendo na floresta com seu grupo. Schmendrick e Molly são personagens importantes para a realização da busca do unicórnio, e em libertar os outros da espécie.

Apesar do filme não ser extremamente bem-feito, temos algumas belas imagens e cenários, como essa.

Sobre a história em si, acho meio difícil de comentar muita coisa, pois não cheguei a ler o livro (e nem sei se existe versão em português dele). A história não é ruim, e é possível conhecer consideravelmente bem a personalidade dos personagens principais. Mas sei lá, não foi nada que me emocionou. Ficou um vazio no final das contas. Então acabei ficando meio neutra diante dele. Quem sabe se eu conseguir ler o livro, mude de ideia.

Anúncios

9 comentários sobre “Comentando: The Last Unicorn

  1. Assisti ao filme hoje. Tem um clima que me fez lembrar O Caldeirão Mágico, da Disney. E Caverna do Dragão, como você disse.

    Interessante que quem fez as músicas do filme foi o grupo America, daquela “A Horse with No Name”!

    • Aaaah, entendo! 😄 eu assistia os dois, mas não achava o que passava no SBT tão bom, principalmente no começão, lá pelas oito da manhã. O resto eu curtia, e no caso de He-man, meu pai era fã e gravava um monte de episódios xDDD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s