Nostalgia Feelings: Jogos antigos – Parte 1

Foto que tirei dos meus cartuchos velhos, agora inutilizados

Para não deixar o texto cansativo demais pra ler, decidi que seria melhor dividi-lo em três partes.  Falarei sobre alguns jogos de console que eu já joguei.

Bom, levando em conta sites voltados para games, é fácil encontrar casualmente posts sobre jogos épicos de Ataris, NES, SNES e por aí vai.

A experiência com jogos têm sido recente para mim, levando em conta o seu nível de importância, que até então não era muito diferente do ponto de vista de uma típica mãe, por exemplo =P

Se me lembro bem, o primeiro console que eu conheci foi o do meu primo, que tinha um PolyStation. Na época (eu devia ter menos de uns 10 anos), desconhecia totalmente outros consoles e muito menos sabia que esse era uma versão xing ling, embora desconfio ter conhecido um SNES de perto, na casa de um amigo do mesmo bairro, jogando Street Fighter.

Pois bem, eu fiquei com o Poly dele emprestado por uns bons anos, até o dia em que o coitado teve que ser jogado fora (a história é meio longa). Mas até chegar nesse ponto crítico, ele já estava esquecido num canto por aí, porque os controles não funcionavam mais :/ Felizmente, pude conhecer ótimos jogos nesse meio tempo (e outros nem tanto) desses cartuchos mil em um, dos quais cito a seguir. A ordem não corresponde pela preferência, simplesmente fui enumerando conforme olhava os cartuchos:

1) Double Dragon II

Jogo em que eu era ruim demais jogando sozinha, mas era um show à parte quando me juntava com minha irmã. Zeramos juntas, inclusive. Era super divertido, apesar de não entendermos lhufas do texto (era tudo em japonês). Gostava muito das musiquinhas e ilustrações detalhadas que aparecia tanto no começo quanto no fim do jogo. Sempre que enfrentávamos um boss (ou qualquer cara chato de matar), o apelidávamos carinhosamente de “fodão”, HAHAHAHAH
Detalhe que eu nem lembro como eu joguei de boa sem minha mãe achar violento demais pra nós XD

2) The Legend of Kage

ADOOOORO esse jogo! A musiquinha, os personagens (apesar de serem um bando de fdp porque sempre morria muito nele =P), enfim, era ótimo como um todo. Confesso que fiquei com um pouco de raiva quando achei esse vídeo, em que o cara passa todas as fases sem morrer uma única vez – tanto que eu nunca consegui zerá-lo.
Inclusive, esse jogo tem uma pequena curiosidade: uma vez, encaixei o cartucho dele de um modo que, quando fui jogar, eu tinha umas 20 ou 30 vidas! E o padrão são só umas três. Tinha tudo pra zerar com esse bugzinho, mas não lembro se foi a tela que congelou sozinha, ou a anta aqui deu uma mexidinha no cartucho, que perdi esse monte de vida. Nunca mais consegui repeti-lo.
Agora, qual não foi a minha surpresa ao descobrir que ele ganhou um REMAKE 3D! De quebra, bastante fiel ao jogo original! “OMGOMGOMG preciso achá-lo pra jogar”, foi minha reação.


Aí me bateu uma decepção quando descubro que a bagaça só tem disponível pro PSP, e mesmo tentando usá-lo com emulador, foi totalmente sem sucesso D8
(nota: também existe uma versão mais nova para o DS, mas esse não me agradou muito)

3) Battle City 

Mais um ótimo jogo para aproveitar o modo coop. Sinceramente não lembro dos detalhes (boss? sei lá), mas era divertido não só destruir tudo à sua frente, como em criar seus próprios cenários (de um modo em que seus tanques inimigos ficassem presos num cantinho, uheuheuheuhe).

4) Dr Mario

Esse eu não tenho muito o que dizer, apenas de que era um joguinho do Mário simpático suficiente para perder um tempinho de sua vida tentando matar os vírus coloridos ad infinitum. O jogo chegou a ganhar uma versão para o Nintendo 64, aparentemente sem sucesso.

5) Pooyan

Joguinho todo fofinho e rozinha em que você tinha que matar uns “carrochos que viravam gatos quando pegavam os balões” (eu sempre tenho essa impressão quando vejo o jogo). Era bem irritante não acabar com os bichos à tempo, hahahaaha

6) Street Fighter II

(no cartucho está escrito como II, aí está como IV. nada impressionante)

Poisé, existe versões alternativas de SF para NES, coisa que só fiquei sabendo recentemente. Me divertia tanto nele que chegava a gravar partidas nos VHS’s! XD Lembro também que, nas raras vezes em que eu conseguia fazer o “haduken da Chun-li” (conhecer nomes de golpes na época era meio difícil), era uma alegria só. Ou quando pegava o Blanka e ficava parada, só dando choque elétrico.

Eu já estava acreditando que não ia achar um vídeo que correspondesse exatamente a versão que eu tenho, mas consegui! Toscão em vários apectos, mas muito nostálgico.

7) Super Mario Bros

Esse fazia parte dos trocentos jogos que vinham na memória do Polystation. Lembro até de uma fase em que você acessava avançando várias vezes a lista de jogos e era uma mistura de fase terrestre com aquática.

Sem dúvida que Mario é um dos meus personagens favoritos, apesar do velho clichê chato de salvar a princesa sempre.

Uma coisa que eu não vi mais gente repetindo até agora (não que eu tivesse procurado horrores), era um truque pra conseguir vidas quase infinitas: no mundo 2 ou 3, naquela escadona pra chegar no final das fases, em uma delas tinha uma tartaruga. O que eu fazia era dar um pulo nela de modo com que ela ficasse presa na escada e aí a soma da pontuação à medida que você pulava nela repetidamente dava vááááários 1up! Só que se você exagerasse na dose, na próxima morte dava game over xD

8) Duck Hunt

QUEM NUNCA? Esse era o único jogo em que a pistola era necessária, além de outro jogo (que não lembro o nome) praticamente igual, mas trocando os patos por discos. Que atire a primeira pedra quem nunca tentou atirar no cachorro quando ele ria de você, HAHAHAHA (tal fato já rendeu umas belas paródias, diga-se).
Ah e, lembro de uma vez em que eu descobri um “glitch” em que você apontava a arma de um jeito em que dispensava mirar nos bichos, era só atirar que você acertava tudo.

9) Ladangel

Após algumas pesquisas, descubro que esse jogo nada mais é do que uma cópia descarada (e mal feita) de um tal Challenger, uma mistura esquisita de Mario com Zelda. Era bem chato e nunca tive saco pra zerar.

Bem, acho que já deu pra esse post. No próximo citarei mais alguns, e quem quiser comentar algo para complementar o post ou só aumentar a nostalgia, fique à vontade.

Anúncios

4 comentários sobre “Nostalgia Feelings: Jogos antigos – Parte 1

  1. Pingback: Minha história como jogadora « Colchões do Pântano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s